Um mundo que não se aprende em nenhum livro

“Larga de ser boba e vem comigo”, propunha o poeta a sua musa, convidando-a a descansar na sombra de uma árvore e ouvir o canto dos pássaros. Na época, 1975, os temas ecológicos não estavam na ordem do dia, muito menos se escutara falar em samplers. Mas Hyldon, apaixonado por passarinhos, conseguiu registrar um sabiá-laranjeira, com um gravadorzinho cassete na casa de um amigo. Depois introduziu os gorjeios que o cativaram na faixa seguinte à “Na rua, na chuva, na fazenda”. As duas foram um sucesso radiofônico estrondoso.

Instalado no Recreio dos Bandeirantes há 16 anos, o compositor continua apreciando os ares campestres. “Vou sempre ao Parque Natural Municipal Chico Mendes – a pé ou de bicicleta, pois fica perto de onde moro –, uma reserva de Mata Atlântica, cortada pelo Rio do Tachão. De manhã bem cedo, ou então na parte da tarde, costumo observar os pássaros, que me encantam, além da botânica.”

Graças à presença de pitangueiras e aroeiras, o parque é o paraíso de tiês, sanhaços e saíras. “Cheguei a incluir o canto de um tiê em ‘As coisas simples da vida’, música que fiz em homenagem ao poeta Manoel de Barros”, recorda Hyldon. A frondosa figueira-vermelha, por sua vez, serve de alimento para preguiças e morcegos, mamíferos que ali circulam, junto a capivaras e gambás.

Criado em 1989, um ano após a morte de Chico Mendes, a área de restinga na planície arenosa da Baixada de Jacarepaguá valoriza o ideário do ex-líder seringueiro, que lutou pela preservação da Floresta Amazônica. A cargo da prefeitura, ela surgiu no intuito de proteger as espécies da fauna e flora da Lagoinha das Tachas e seu entorno, algumas ameaçadas de extinção. Principalmente, o jacaré-de-papo-amarelo, que vive cerca de 50 anos, mede entre 1,5 e 2,5 metros e tem a sobrevivência em risco pela deterioração contínua de seus habitats. Fora 120 tipos de aves, já foi catalogada mais de uma centena de exemplares de borboletas, insetos considerados bioindicadores de um meio ambiente saudável. Alguns animais egressos de cativeiros podem ser vistos de perto, como jacarés, jabutis, cágados-de-água-doce e jiboias.

Com um total de 40 hectares e quase cinco quilômetros de trilhas (planas e bem sinalizadas), o Parque representa um espaço ideal, tanto para momentos de lazer quanto atividades de educação ambiental. À entrada, o visitante recebe informações dos funcionários sobre as características do Chico Mendes, que dispõe de passeios guiados, cursos, palestras e oficinas de desenho e pintura.

“Monitorado por guardas, é um lugar bastante seguro. Gosto de ir lá nos dias de semana, quando fica mais vazio e silencioso, para respirar, meditar, fazer ioga”, acrescenta o soul man brasileiro. E, naturalmente, compor lindas canções, inspiradas num mundo que não se aprende em nenhum livro.

Parque Natural Municipal Chico Mendes
Avenida Jarbas de Carvalho, 679 – Recreio dos Bandeirantes
Tel.: (21) 2437-6400