Até sambiquira figura entre os mais de 70 petiscos em boteco na terra de Noel

Haja coração para encarar todos os aperitivos disponíveis no cardápio do Bar Gato de Botas. Comandado por Agostinho Nascimento, mais conhecido como Seu Agostinho, o botequim vai de torresmo e sambiquira (o ponto onde se fixa as penas do rabo das galinhas, vulgo “sobre”) a ostras e mexilhões. Para hidratar, não falta aquela cerveja em casco de 600 ml, sempre estupidamente gelada.

O estabelecimento foi fundado após Seu Agostinho romper a sociedade que mantinha com Antônio Costa, antigo proprietário do finado Bar do Costa, reduto histórico da boemia de Vila Isabel. Os filhos Diego e Luiz, então, deram força ao pai para que preservasse em outro endereço o legado de elaborar petiscos perfeitos. Em 2006, o patriarca abriu sua própria taberna, num momento em que as comidinhas de boteco chegaram ao ápice no tradicional bairro carioca.

O grande compositor Noel Rosa, um ícone da região, provavelmente gostaria de ter experimentado os deliciosos acepipes oferecidos pela casa. Entre os destaques, estão o bolinho de vagem (eleito pelos frequentadores como o melhor do Rio), jiló frito com alho e queijo parmesão ralado, pasteis diversos, asa de frango recheada com catupiry, sanduíches de pernil e por aí vai.

A ambientação é típica de botecos cariocas. A casa ocupa o que seria o espaço de duas pequenas lojas no primeiro andar de um prédio residencial. Há poucos lugares disponíveis no interior, por isso a clientela se espalha também pela calçada. Como diz Seu Agostinho, “seja após o serviço ou nos dias de folga, abstrair o estresse do dia a dia é fundamental. Bem-vindo ao Bar Gato de Botas”.

Bar Gato de Botas
De segunda a sábado, das 15h às 0h
Domingo, das 10h às 0h
Rua Torres Homem, 118, loja C – Vila Isabel
Tel: (21) 3176-0084