Do cafofo da Tia Surica à quadra da Portela, feijoada alimenta

Escola de samba que mais vezes foi campeã na avenida, a Portela guarda em sua história outro motivo de orgulho, que vem do talento culinário da Tia Surica, cozinheira de uma das feijoadas mais tradicionais e populares da cidade. A baluarte da Velha Guarda azul e branca e figura icônica do carnaval carioca já fazia sucesso com o prato na década de 80, quando começou a servi-lo em sua própria residência a um privilegiado grupo de amigos e sambistas.

“Tudo teve início em casa, e hoje fico muito satisfeita por esse reconhecimento. Os que provam elogiam muito, porque é uma coisa feita à base de dedicação e carinho”, diz a prestigiada chef. Até hoje o “cafofo da Surica”, como chamam carinhosamente a sua moradia, constitui ponto de encontro de famosos e anônimos que apreciam o melhor do samba e a iguaria que virou marca registrada na cultura do Rio.

Em 2006, ela passou a preparar a delícia sempre aos últimos sábados do mês no Teatro Rival, na Cinelândia, por onde permaneceu durante dez anos. O banquete, que atualmente pode ser degustado no Espaço Menezes, também no Centro, é oferecido em homenagem a Tia Vicentina, outra personagem emblemática da Escola, que inspirou a canção “O Pagode do Vavá”, do compositor portelense Paulinho da Viola.

Cerca de 500 felizardos se deleitam no caldo suculento, sempre ao som da roda de samba Amigos da Velha Guarda da Portela. Tia Surica serve ainda sua especialidade em encontros na tradicional agremiação de Madureira e em eventuais eventos promovidos em outros estabelecimentos da cidade. De tão saborosa, a feijoada coleciona fãs ilustres, entre sambistas, artistas, globais e até políticos, como o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes.

O segredo da receita, segundo ela, é cozinhar com amor e não perder o ponto do sal, claro. Para isso, conta com a mãozinha de uma equipe, que começa a preparar o prato quatro dias antes de servi-lo. Na panela de feijão não podem faltar pé de porco, costelinha, paio, carne seca, lombo, bucho, peito e linguiça. Ao lado, os fiéis acompanhamentos: couve, farofa, arroz e laranja. E, numa mistura que dá samba, nada melhor que uma boa pimenta, uma cachacinha ou um chope gelado para complementar o saboroso ritual.

Feijoada da Tia Surica
Terceiro sábado do mês, a partir das 12h.
G.R.E.S. Portela: Rua Clara Nunes 81 –
Oswaldo Cruz. Tel: (21) 3217-1604
Espaço Menezes: Avenida Erasmo Braga, 278 – Centro – Tel: (21) 97914-9255