Igreja do início do século XVII ostenta o título de a mais antiga do Rio

Erguida em 1613, a Capela Barroca de Irajá deu origem, a 30 de dezembro de 1644, à Paróquia Nossa Senhora da Apresentação de Irajá. Três anos depois, por alvará de D. João IV, se tornaria a igreja matriz do bairro – à fundação do qual está diretamente ligada. Hoje, ostenta o título de a mais antiga da cidade. Localizada na pracinha homônima, caracteriza-se pelo estilo barroco primitivo.

O singelo santuário foi construído sobre um pequeno outeiro, no vale central da antiga Fazenda Irajá, produtora de açúcar. Apresenta nave única, separada da capela-mor pelo arco-cruzeiro. Consta que a imperatriz Tereza Cristina, esposa de D. Pedro II, doou à paróquia uma cômoda de três peças para guardar vestimentas litúrgicas e três bancos pertencentes à Capela Real.

Do alto de seus 407 anos, a igrejinha (tombada como Patrimônio Cultural do Rio de Janeiro em 1994) organiza, além das missas tradicionais, eventos como a “Festa da Padroeira”, “Bailes dos avós”, “Cerco de Jericó” e “Tarde das Famílias”. Promove também o “Festival do macarrão” e a “Suburban fest” – misturando baile charme, música, apresentação de DJ, teatro, brindes e boa comida –, com o propósito de angariar recursos para as atividades de evangelização do grupo “Encontro de Jovens com Cristo”.

 

Paróquia de Nossa Senhora da Apresentação
Praça Nossa Senhora da Apresentação, 272