Atividades miram a reflexão em torno de diferentes formas de pensar

A fachada-escultura de letras hebraicas que formam a palavra Midrash – com o significado de “aprofundar o conhecimento” – salta à vista no premiado projeto arquitetônico desse centro cultural da Congregação Judaica do Brasil. Criada em 2009 pelo rabino Nilton Bonder, a instituição, distribuída por três pavimentos, consolidou-se em torno de atividades centradas no saber para aprimoramento coletivo e individual.

Sem fins lucrativos, o Midrash mantém cursos (incluindo os de idiomas), palestras e grupos de estudos ao redor de temas da história da humanidade, bem como eventos artísticos, oficinas criativas voltadas às crianças e práticas espirituais. Todos estão abertos ao público em geral, no propósito de gerar reflexões sobre diferentes formas de pensamento. E de divulgar a cultura judaica na cidade, sob o prisma da pluralidade e da tolerância.

A programação envolve nomes de relevo da cultura nacional, à imagem de Deborah Colker, Ziraldo, Zuenir Ventura, Marcelo Gleiser e Sérgio Besserman. Além de dois auditórios e duas salas que podem ser reservadas a encontros corporativos, há ainda um ambiente destinado a pequenas cerimônias religiosas, biblioteca, boutique para venda de livros e um café com especialidades da culinária judaica.

 

Midrash
Rua General Venâncio Flores, 184