Mix de bares e restaurantes turbina a vida boêmia do subúrbio

É, por assim dizer, a Dias Ferreira da Zona Norte. A Avenida Brás de Pina, no trecho entre a Estrada da Água Grande e a Rua Engenheiro Francelino Motta, começou a bombar a partir de 2014, com a chegada sem parar de novos bares e restaurantes. A ponto de, dois anos depois, via decreto da Prefeitura, ser oficializado como Polo Gastronômico de Vista Alegre.
Receita simplérrima para tanto badalo: serviços de qualidade a preços acessíveis. São cerca de 30 estabelecimentos em operação, que varam a madrugada nos fins de semana, quando a frequência bate a faixa de 10 mil pessoas. O roteiro pode estrear pelo Bar do Adão, famoso na cidade por seus pastéis em mais de 50 sabores (como gorgonzola, nozes e camarão; salmão, cream cheese e geleia de damasco), um dos primeiros a despontar no Polo.
Entre opções de comidas japonesa e mexicana, hamburguerias, churrascarias, pizzarias, choperias, cafeterias e empórios, estão o Quintô (com decoração temática esportiva) e o Tablô Café & Bistrô (que remete ao célebre quadro “Terraço do café à noite”, de Van Gogh). E, também, o coloridíssimo Frida Gastrô, inspirado na obra da pintora Frida Khalo, que serve uma pizza de batata – afeiçoada à rostie – atrás da outra. Uma divertida parede com varais está à disposição dos clientes para que deixem mensagens penduradas em pregadorezinhos.

Polo Gastronômico de Vista Alegre
Avenida Brás de Pina, entre a Estrada da Água Grande e a Rua Engenheiro Francelino Motta