Acervo do mestre do mobiliário está aberto à visitação em Botafogo

O casarão de Botafogo, construído em 1920 e tombado pelo Patrimônio Histórico, onde Sérgio Rodrigues, o mestre do mobiliário brasileiro, residiu e instalou seu ateliê, hoje abriga o acervo e expõe peças do premiado designer e arquiteto. O criador da famosa poltrona Mole (1957), que está no Museu de Nova York, tinha o hábito de abrir as portas do sobrado para compartilhar suas histórias bem-humoradas e seus conhecimentos com estudantes, pesquisadores e jornalistas.

Desse gesto de generosidade surgiu a ideia de fundar o Instituto Sérgio Rodrigues, em 2012. O arquiteto e sua mulher, Vera Beatriz, abriram o baú de memórias e convidaram Renata Aragão, diretora-executiva da casa, para estruturar todo o processo de preservação e organização dos documentos, de modo a colocá-los gratuitamente à disposição do público. Durante o trabalho, descobriram-se croquis inéditos de móveis, que passaram por um processo de recuperação e saíram do papel pelas mãos do designer Fernando Mendes.

Os 30 mil itens catalogados, incluindo plantas, desenhos, cartas e fotos, foram divididos em três categorias: vida pública, vida pessoal e vida profissional. Do total, 12 mil podem ser acessados no site do instituto. “Fizemos uma seleção, um recorte, mas se houver interesse em examinar um projeto completo, nós o temos para mostrar”, explica Renata.

Sérgio Rodrigues desenhou móveis inspirados nas raízes culturais brasileiras por mais de 60 anos. As peças robustas em madeira, combinadas com couro e palha, fugiam do padrão “pé palito” da década de 1950 e forjaram a identidade do design nacional. Ele foi dono da inovadora loja Oca, em Ipanema (1955), onde comercializava a mobília que produzia e que rapidamente se tornava um ícone no mercado.

Instituto Sérgio Rodrigues
Rua Conde de Irajá, 63 – Botafogo
Tel: (21) 3173-4256