Trenzinho percorre as instalações até o castelo em estilo mourisco

Ciência, saúde, tecnologia e cultura entram em processo simbiótico, de forma lúdica e criativa, no Museu da Vida, aberto em 1999. Instalado numa ampla área verde da Fundação Oswaldo Cruz, cujo campus, um castelo em estilo mourisco, por si só já justifica o passeio, propicia o entendimento dos avanços científicos e seus impactos no cotidiano.

O Museu se estende por diversos ambientes, como um parque ao ar livre, pirâmide, tenda de teatro, laboratórios, trilhas histórico-ecológicas, borboletário e salas de exposições. Cerca de 2.100 itens compõem o acervo, que abrange objetos pessoais de pesquisadores da Fundação, materiais relacionados à produção de remédios e vacinas, equipamentos e peças de alto valor histórico.

A Biblioteca de Educação e Divulgação Científica Iloni Seibel – com sala de vídeo para exibição de sua coleção de filmes, documentários e animações sobre ciências, saúde e meio ambiente – é aberta ao público em geral. O arquivo reúne cinco mil itens nacionais e estrangeiros, formado por livros, teses, periódicos, CDs, DVDs e jogos. Crianças e adultos ficam ainda mais encantados com o giro do trenzinho que percorre as instalações e a visita ao castelo, com seus vistosos azulejos e mosaicos inspirados em tapeçaria árabe.

 

Museu da Vida
Avenida Brasil, 4.365