Ninho do Águia de Haia em Botafogo se abriga no coração do historiador

Enciclopédia ambulante sobre a Cidade Maravilhosa, Milton Teixeira inovou a atividade de guia turístico ao sair do eixo clássico Pão de Açúcar-Cristo Redentor para encabeçar a pé itinerários inusitados. O historiador comanda passeios gratuitos para todos os gostos, do Convento de Santo Antônio à pista Cláudio Coutinho. Contar causos pitorescos desde que Estácio de Sá desembarcou na Baía de Guanabara é a sua especialidade.

Mas há um recanto especial no coração do professor: a Fundação Casa de Rui Barbosa. “Trata-se da primeira casa-museu do Brasil e homenageia a personalidade mais importante do início do século XX. Rui Barbosa, com uma inteligência fora do comum, foi um dos heróis do Positivismo. A edificação é magnificamente bem preservada, e seus arquivos remontam a história do Rio desde o século XVI. Além disso, os belos jardins funcionam como área de lazer pública – um alívio no sufoco do bairro de Botafogo, propiciando um bom relax mental”, louva Milton.

A Fundação, com entrada franca e ocupando uma área de 9 mil m2, originou-se no museu-biblioteca criado em 1928 pelo presidente Washington Luís, a Casa de Rui Barbosa. E constitui um vasto memorial da obra e vida do excelsior diplomata, jurista e escritor: biblioteca com 37 mil volumes (a exemplo de uma preciosa “Divina Comédia”, de Dante, editada em 1481), 60 mil itens produzidos ou recebidos por ele entre 1849 a 1923 e, também, 1.400 peças do mobiliário da residência do “Águia de Haia”.

O espaço inclui o Centro de Pesquisas, o Arquivo-Museu de Literatura Brasileira (com documentos pessoais
de escritores como Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade e Vinícius de Moraes) e o Acervo Institucional – em 200 metros lineares de documentos textuais, fotografias, desenhos, cartazes, fitas de videocassete e áudio em rolo, filmes de 16 mm, negativos, fotolitos, DVDs e CDs, que resgatam sua trajetória até hoje. Há, também, o Acervo Bibliográfico, de apoio às linhas de pesquisa da Fundação, e a Biblioteca infanto-juvenil Maria Mazzetti. São oferecidas visitas mediadas aos sábados, domingos e feriados.

“Já doei à Fundação mapas dos séculos XVIII, XIX e XX, livros raros – como o da inauguração do Palácio Monroe, em 1904, na Cinelândia – e um arquivo com 500 postais e mais de mil fotografias da vida brasileira, entre 1850 a 1930. E, quando morrer, toda a minha biblioteca e coleção de pinturas a óleo do Rio Antigo também vão para lá”, adianta o coordenador do único curso de Pós-graduação em História da Cidade do Rio de Janeiro, no Instituto Venturo. Ouçamos a voz da sabedoria: partiu Casa de Rui Barbosa!

Fundação Casa de Rui Barbosa
Rua São Clemente, 134 – Botafogo
Tel.: (21) 3289-4600