Azul e branca junta e mistura a galera na quadra do Boulevard 28 de Setembro

Foi preciso um jeitinho especial para que a menina de apenas oito primaveras desfilasse pela primeira vez na escola de samba do bairro onde nasceu, a Unidos de Vila Isabel, que só permitia a participação de crianças na avenida a partir de dez anos. Mas ela era filha de dois patrimônios da azul e branca, os cantores Martinho e Anália. E saiu lépida e fagueira na ala da família, comandada pela mãe. Nas animadas rodas da Vila, se apaixonou pela música e aprendeu a tocar pandeiro e violão.

Hoje, Mart’nália desfila pela ala dos compositores – a que pertence desde 1997 – ou na bateria. O DNA talentoso e o convívio desde cedo junto aos componentes da escola moldaram a artista que só enriquece o legado do pai coruja, presidente de honra de uma das agremiações mais tradicionais do carnaval carioca. Pois a Vila Isabel surgiu em 1946, no quintal da casa de um pintor na subida do Morro dos Macacos. Seu China – como era conhecido por ter olhos puxados –, julgava que a terra de Noel Rosa merecia ter uma escola de samba. De lá para cá, já são 73 anos empolgando as arquibancadas na avenida.

Segundo Mart’nália, nascida na Rua Torres Homem, a Vila é tão integrada ao seu entorno que representa uma das poucas a ostentar o nome do bairro onde se localiza. “Ela mistura e integra todo mundo, recebendo sempre a visita de compositores de outras escolas. Tenho muito envolvimento por lá. Minha sobrinha Dandara já foi porta-bandeira, minha irmã Analimar é presidente da Herdeiros da Vila. Da escola mirim, fundada em 1988, saíram grandes talentos, como Macaco Branco, que se tornou o primeiro mestre de bateria e passou a tocar na minha banda.”

Na quadra do Boulevard 28 de Setembro, há eventos o ano inteiro. A começar pelas tradicionais feijoadas, com apresentações de músicos da agremiação. A cantora recomenda ao visitante “prestar atenção nos instrumentos, para buscar entender a cadência da escola”. Ensaios técnicos, shows do projeto Casa de Bamba (como os de Alcione, Dudu Nobre, Jorge Aragão e Grupo Fundo de Quintal), Pagodes do Trabalhador e bailes pilotados por DJs também fazem parte da programação.

“O ambiente é tipicamente familiar, com a criançada correndo de um lado para o outro. E democrático – cada um pode ser o que quiser. Todos estão ali na intenção de se abraçar, em clima de confraternização”, resume Mart’nália. Outra dica importante: quando você for se divertir na quadra da Vila, não deixe de apreciar os passeios de pedras portuguesas que cobrem os dois lados do Boulevard. Eles formam instrumentos e notas de composições clássicas, como as de seus filhos mais famosos, Noel e Martinho. Assim, a aula de música brasileira vai ficar completa.

Unidos de Vila Isabel
Boulevard 28 de setembro, 382 – Vila Isabel
Tel.: (21) 2578-0077