Complexo na Zona Norte é um dos maiores do gênero na América Latina

Numa fábrica de cerveja do início do século XX – construída no clássico estilo da arquitetura industrial inglesa e tombada pelo patrimônio histórico –, funciona o Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro, um dos maiores da América Latina. O desenho da reforma e adaptação do imóvel, à luz de congêneres europeus, alinhou-se ao conceito do projeto: fomentar os vetores de criação, desenvolvimento, estudo, intercâmbio, memória e difusão da dança, de modo a expressar uma referência nessa linguagem do corpo.

Desde 2004, o espaço investe no suporte a artistas e grupos emergentes e na multiplicação do acesso a essa arte para um público eclético, de crianças a pessoas da terceira idade, incluindo portadores de necessidades especiais. As atividades se dirigem a iniciantes, estudantes, pesquisadores e profissionais da dança e interessados em geral. E englobam oficinas gratuitas, workshops, palestras, mesas-redondas, exibições de filmes, congressos, eventos e montagem de espetáculos.

Os equipamentos se dividem por cinco andares, num total de 4 mil m². Em homenagem a uma das mais importantes bailarinas e coreógrafas brasileiras, o Teatro Angel Vianna, com 150 lugares, é palco de apresentações de companhias nacionais e estrangeiras. Os estúdios e o loft se destinam a residências artísticas, ensaios abertos e oficinas. Na galeria, ocorrem mostras de fotografias, pinturas e instalações. E a Midiateca está reservada a acervo bibliográfico, pesquisa, criação, divulgação e preservação da memória da dança e do movimento em toda a sua diversidade no Rio.

Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro
Rua José Higino, 115