Casarão em esquina bucólica do Jardim Botânico valoriza culinária brasileira

Pode uma mineirinha de raiz ter nascido na carioquérrima Tijuca? Sueli Costa prova que sim. Ela se mudou para Juiz de Fora – a família é toda de Minas Gerais – com apenas três anos de idade. De lá só voltaria a residir na terra natal em 1970, no legendário Solar da Fossa, onde foi construído o shopping Rio Sul. Uma década depois, se instalaria no apartamento em que mora até hoje, no Jardim Botânico.

A autora de tantas delicadezas que iluminam a música brasileira adora programas que possa fazer a pé pelas redondezas. Como tomar uma cervejinha com os amigos – entre os quais o superparceiro Abel Silva – na Panificação Século XX, na Rua Pacheco Leão, bem em frente aos estúdios da TV Globo. “Mas se a ronda pelo bairro incluir um lugar mais aconchegante, o rumo é o bar Do Horto, na mesma rua. A casa verde-limão na esquina bucólica, forrado no interior por papel de presente e com mesinhas na calçada, convida a desacelerar a mente e ingressar numa outra rotação de tempo. A ideia é desfrutar com muita calma os sabores e aromas”, indica a poetisa Sueli.

Para hidratar a conversa, há cervejas – as preferidas da compositora – das marcas Bohemia, Heineken, Stella Artois, Therezópolis e Eisenbahn (Pale Ale, Pilsen e Trigo). Mas também caipirinhas caprichadas, tequilas, espumantes e até vinhos da Eslovênia. O cardápio combina a culinária brasileira criativa com toques internacionais. De entradinha, o Bão demais (um mix de carne seca acebolada, aipim frito, linguiça suína e queijo coalho que faria bonito nas Gerais de Sueli); Delícia do Horto (bolinhos de carne assada com molho de mostarda), Samoosa (pastel assado recheado com couve e gorgonzola), trouxinha de shimeji (com molho de manteiga e limão), bolinhos de arroz arbóreo (com ervas e parmesão) e tartare de salmão (com iogurte natural e alho-poró).

Depois, sem pressa, conforme recomenda a frequentadora ilustre, confira as opções de tapiocas: três queijos, tomate e manjericão; abobrinha e gorgonzola; carne seca, requeijão e cebola; geleia de pimenta e parmesão; shitake com tofu; e banana com chocolate e sorvete de creme. E, também, de saladas, como as de cuscuz marroquino; folhas, tomate e ervas na cesta de parmesão; e folhas, tomate cereja, cebola roxa, azeitona verde e lascas de salmão.

No avançar da tarde – ou da noite –, se o apetite exigir algo mais consistente, o menu vai de bobó de camarão servido na moranga, filé mignon com espinafre e molho branco e nhoque do mar (batata baroa, molho sugo, camarão, lula e cubos de salmão) até filé de pescado (com molho de manteiga e castanha de caju), filé de frango com legumes ao vapor e ravióli de muçarela de búfala e manjericão. O Arroz Jardim Botânico (bacalhau desfiado, arroz de brócolis, azeitonas e ervas) e o Árabe do Horto (arroz com lentilha tabule, homus e kafta) também apetecem. Como digestivo, um sorvetinho de tapioca ou de castanha do Pará. Você vai sair de lá nas nuvens e, com certeza, cantando “dentro de mim mora um anjo…”

Do Horto
Rua Pacheco Leão, 780 – Jardim Botânico
Tel.: (21) 3114-8439