Cascata no Parque da Tijuca era ponto de cultos religiosos dos escravos

O menino que cresceu no bairro do Humaitá, cercado por pai e tios músicos, avó professora de artes e avô desenhista, até chegou a se formar em jornalismo. Mas o DNA da criança que vivia imitando cantores, apresentadores de TV e radialistas acabou falando mais alto. E ele, hoje, como um dos maiores expoentes do humor brasileiro, se desdobra em mil para dar conta de todo o volume de gravações e compromissos país afora.

Com a cabeça sempre em ebulição, Marcelo Adnet encontra na natureza um refrigério para o corre-corre cotidiano. E, ao mesmo tempo, uma fonte inspiradora para novas – e hilárias – ideias de roteiro e composições. Como fã de carteirinha de montanhas e trilhas, o ator comenta: “O Parque Nacional da Tijuca, apesar de muito conhecido, ainda guarda cantos menos explorados e não tão frequentados, como a Cachoeira das Almas – uma das poucas liberadas para banho no complexo. O lugar, belíssimo e místico, recebeu esse nome por ter constituído um ponto onde os escravos praticavam seus cultos religiosos.”

A Cachoeira das Almas se localiza no Setor Floresta – com entrada na Praça Afonso Viseu, Alto da Boa Vista – da unidade de conservação. E é a única em que se autoriza o banho nesse núcleo – diariamente, entre 8h e 17h (até 18h no horário de verão e visitantes credenciados a partir das 6h). “Fica a cerca de três quilômetros do portão de entrada do Parque da Tijuca. A trilha de acesso, plana na maior parte do percurso, começa perto do Centro de Visitantes e segue margeando o Riacho das Almas”, sinaliza Adnet.

A cascata, com queda d’água de aproximadamente quatro metros de altura, integra o Circuito do Vale Histórico. A região, de 7,5 quilômetros de extensão, mantém as referências centrais do período em que abrigava as fazendas de café, como Capela Mayrink, Ruínas da Fazenda e Fonte Wallace. O Caminho das Grutas, uma trilha de baixo grau de dificuldade, ladeia as principais cavernas do Parque, como Morcegos, Belmiro, Bernardo de Oliveira e Paulo e Virgínia. O Caminho perpassa, também, o Campo Escola 2000, um paredão natural de escalada.

Além do Circuito do Vale Histórico, o Setor Floresta abrange parte da Transcarioca, a maior trilha urbana do Brasil. Com início no acesso à Represa dos Ciganos – descortinando atrativos como Pico da Tijuca, Bico do Papagaio e a área de lazer do Bom Retiro –, o trajeto de 180 quilômetros vai da Barra de Guaratiba até o Morro da Urca. Integra seis unidades de conservação, oferecendo a contemplação de monumentos naturais pouco conhecidos.

A trilha prossegue pela Serra da Carioca – e o visual deslumbrante proporcionado pela tríade Morro do Queimado, Mesa do Imperador e Vista Chinesa –, descendo rumo ao Horto e ao Jardim Botânico e finalizando no velho e bom Parque Lage. Um passeio cheio de graça e para lavar a alma.

Cachoeira das Almas
Estrada da Cascatinha, 850 – Alto da Boa Vista
Tel.: (21) 2492-2250