Exposição percorre a história da especialidade desde a chegada da Corte

Miquinhos, esquilos e gambás estão sempre passeando pelos bucólicos jardins com árvores centenárias do Memorial da Pediatria Brasileira, inaugurado na Casa da Bica da Rainha – patrimônio cultural e ecológico do Rio de Janeiro – em 2004. O espaço abriga um museu com exposição interativa permanente sobre a história desse ramo da medicina desde a chegada de D. João VI ao Brasil, biblioteca e centro de pesquisa e documentação, abrangendo cerca de 15 mil itens.

Os mais de 60 painéis informativos, fotografias, vídeos e outros recursos audiovisuais percorrem desde a instalação das primeiras clínicas de puericultura e faculdades no país às inovações da neonatologia, passando pelos serviços de atendimento a crianças portadoras de deficiências. Lá está a Roda dos Expostos – a primeira ação assistencial infantil no Brasil –, uma espécie de armário para acolher recém-nascidos abandonados pelos pais e que ficavam aos cuidados das Santas Casas de Misericórdia. E, também, a cadeira de operar amígdalas, além de modelos antigos de berços e balanças para bebês.

Na entrada da bela edificação em estilo colonial, da primeira metade do século XIX, está a Bica da Rainha, construída no mesmo período para canalizar as águas ferruginosas de uma nascente às quais se atribuíam propriedades terapêuticas. O nome se deve ao fato de o local – tombado pelo Iphan em 1938 – ter sido frequentado por D. Maria, mãe de D. João VI, junto a suas damas de companhia.

Memorial da Pediatria Brasileira
Rua Cosme Velho, 381