Ritos chineses originários em 600 a.C são revividos no Cosme Velho

Num belo casarão no Cosme Velho, o mestre Wu Jyh Cherng, nascido em Taiwan, fundou em 1991 a Sociedade Taoísta do Brasil. No chamado Templo da Transparência Sublime, desenvolvem-se as vivências dessa tradição religiosa originada na China, como meditação, tai chi chuan (arte marcial), estudo do I Ching e astrologia. Seu livro fundador, o Tao Te Ching, foi escrito por Lao Zi, cerca de 600 a.C.

O sistema filosófico milenar busca a liberdade da mente, unida a uma prática individual – cada pessoa alcança um resultado diferente em sua oração, mantra ou devoção. Para isso, seguem-se os ensinamentos alicerçados na harmonia entre a vida humana e o tao, traduzido como caminho ou força motriz por trás de tudo o que existe. Canções e mantras são entoados em um cenário composto por águas, talismãs, espadas e incensos.

Os rituais do templo visam, principalmente, o aumento da performance na meditação, devoção ao Sagrado, estabilidade emocional, proteção e longevidade. Os atos básicos são os da Purificação, Oferenda e Distribuição. O primeiro ocorre entre as cinco e sete horas da manhã, quando nasce a energia Yang, momento ideal a que se dirijam aos céus petições para que todos os participantes recebam benefícios em quaisquer áreas que necessitem.

Alegre e descontraído, o segundo rito acontece por volta das 12h, em agradecimento a retribuição à egrégora taoísta e, também, em celebração ao Dia das Divindades, em meio a oferendas de flores, frutas, velas, incensos e chás. Já a prática da Distribuição, no período em que o dia está anoitecendo, é dedicada aos ancestrais e aos mortos de um modo geral. As celebrações são encomendadas pelos sacerdotes para pedir proteção, compaixão e a salvação de entidades inferiores.

Sociedade Taoísta do Brasil
Rua Cosme Velho, 355 – Cosme Velho
Tel.: (21) 2205-1272