Escola-monumento representa um típico exemplar do início da República

Quem passa pela movimentada esquina das ruas Gomes Freire e Visconde do Rio Branco, na altura da Praça Tiradentes, Centro do Rio, muitas vezes não repara em um prédio imponente, de estilo arquitetônico diferenciado, que destoa dos arranha-céus da região. Os mais apressados nem se dão conta de que crianças entram e saem do centenário edifício onde funciona a Escola Municipal Tiradentes.

A unidade de ensino foi inaugurada em 24 de novembro de 1905 pelo prefeito do então Distrito Federal, Pereira Passos (1902-1906), com a presença do inspetor escolar, o poeta parnasiano Olavo Bilac. Ela está instalada no mesmo local onde Joaquim José da Silva Xavier morreu enforcado num patíbulo, em 21 de abril de 1792. Enquanto brincam no pátio ou correm pelas escadarias, as crianças do 1o ao 5o ano do ensino fundamental não imaginam o peso político que teve a transformação do espaço, onde se deu a execução do mártir da Inconfidência Mineira, na escola que o homenageia — tombada em 1990.

Com fachada em estilo neoclássico, o prédio representa um típico exemplar das escolas-monumento — construções imponentes do início da República, incluindo um amplo espaço destinado a atividades educativas. Uma curiosidade é o relógio
no topo do prédio, que adotou tímpanos em substituição aos sinos, marcando, assim, uma ruptura entre Estado e Igreja.

O passado grandioso faz parte o dia a dia dos alunos, que, no hall de entrada, se deparam com a estátua de uma mulher representando a pátria brasileira — a figura feminina acolhe o sacrifício de Tiradentes. Como não poderia deixar de ser, o ideário do alferes, patrono do espaço, está integrado às ações da instituição, inspirando seu projeto pedagógico.

A trajetória da instituição espelha as transformações tecnológicas  e políticas por que atravessou o País. Suas instalações sofreram reformas, e computadores preenchem as salas centenárias. Com a mudança da capital do Rio de Janeiro para Brasília,
em 1960, o educandário passou a integrar o sistema de ensino do antigo estado da Guanabara e, após a fusão, em 1975, a rede carioca.

Escola Municipal Tiradentes
Rua Visconde do Rio Branco, 48 – Centro
Tel: (21) 2224-7521