Após dez anos fechado, casarão no Cosme Velho vira point de ocupações artísticas

“Essa casa vai ser algum dia / Um centro da ciência e da arte / Um refúgio da história e da poesia / Onde os jovens virão sonhar”. Foi assim que a poetisa Anna Amélia de Queiroz Carneiro de Mendonça descreveu o Solar dos Abacaxis. O trecho pertence ao poema “Utopia”, escrito nos anos 1950 quando ela morava no local com o seu marido, o historiador e desportista Marcos Carneiro de Mendonça, primeiro goleiro da Seleção Brasileira, a de 1914.

Inaugurado em 1843, o casarão é possivelmente o primeiro edifício neoclássico da cidade assinado por um brasileiro, o arquiteto Jacintho Rebello, discípulo de Grandjean de Montigny. O nome do solar é uma referência à reforma que o casal realizou no imóvel em 1940, quando adicionaram 14 abacaxis em ferro fundido na sacada. Como alguns foram furtados nos últimos anos, optou-se por retirar os restantes e fazer cópias para substituir os originais. Enquanto isso, o solar permanece sem os objetos que inspiraram seu batismo.

Durante quase meio século, período em que Anna Amélia e Marcos viveram no palacete, o endereço foi palco de festas e saraus que reuniam escritores, artistas, estudantes, intelectuais, políticos, diplomatas e empresários da elite carioca. A edificação permaneceu fechada por dez anos até que, em 2016, um grupo de profissionais de áreas distintas alugou-a dos atuais herdeiros e formou um fundo coletivo para revitalizá-la.

Desde que o grupo assumiu a administração do espaço, já foram montadas mais de 20 exposições, com a colaboração de 50 artistas e 20 pesquisadores e palestrantes, oriundos de 12 países e dez estados brasileiros. Os eventos Manjar, FuzuErê e À Roda são exemplos dessa nova fase do casarão, em que artistas, DJs, chefs de cozinha e instituições parceiras promovem ocupações temporárias, com o objetivo de arrecadar recursos para financiar de modo colaborativo a reforma do imóvel.

O projeto para o Solar dos Abacaxis envolve espaços para exposições, ateliês, salas para ensaios e apresentações, escola em turno invertido para crianças, cursos livres voltados a jovens e adultos, cozinha-escola e um parque-jardim destinado a práticas ligadas ao meio ambiente. No que depender do gás da turma de gestores, o solar em breve estará funcionado em sua maior potência, cumprindo o papel de fazer sonhar, que a poetisa Anna Amélia previu para ele há algumas décadas.

Solar dos Abacaxis
Rua Cosme Velho, 857 – Cosme Velho
Agenda de eventos disponível em www.facebook.com/solardosabacaxis