No subsolo do Theatro Municipal, Assyrio remete ao Palácio de Xerxes

A maior parte dos milhares de pessoas que passam diariamente pelo majestoso Theatro Municipal, na Cinelândia, nem desconfia que no subsolo se esconde um mundo igualmente de luxo e riqueza. Inaugurado junto com o Theatro, em, 1909, como um sofisticado restaurante, o Salão Assyrio tornou-se palco, durante décadas, dos grandes bailes de máscaras do Municipal. Lá, instalou-se também um cabaré, onde Pixinguinha se apresentava ao lado de seu grupo, Os Oito Batutas. Após a restauração ocorrida entre 1976 e 1978, retomou suas funções originais de restaurante.

Atualmente, no Assyrio funciona o Café do Theatro, que dá acesso ao Boulevard, o novo jardim criado pela última reforma (concluída em 2010), com saída para a Avenida 13 de Maio. Mas a visita a esse tesouro subterrâneo pode ser feita também durante o roteiro guiado por todo o Theatro Municipal, que dura 45 minutos. O primeiro impacto será sentido por meio da mudança abrupta entre o estilo renascentista da principal sala de espetáculos do Rio e o projeto decorativo do Salão, inspirado numa composição de traços assírios, babilônicos e persas.

Dividido em dois planos, o espaço tem teto baixo, sustentado por colunas encimadas por cabeças de touro, bem ao estilo persa. As paredes, revestidas em cerâmica esmaltada, são decoradas por painéis de mosaico, em que sobressaem a frisa dos leões e a rampa das escadas remetendo às encontradas no Palácio de Xerxes, em Persépolis (485-465 a.C.). E, também, a frisa dos arqueiros, original da sala do trono de Dario I, e os enormes Kerub, seres alados que guarnecem as escadas.

Em paredes opostas, salientam-se duas belas fontes. A primeira representa o herói Gilgamesh, rei da Suméria, asfixiando um leão em um alto-relevo, cujo original (Héros maîtrisant un lion) está no Museu do Louvre, na França. A segunda traz o imperador Dario I apunhalando um gênio do mal, à imagem da encontrada em seu palácio, em Persépolis. Destacam-se, ainda, os espelhos engastados em bronze antigo, os lustres em estilo islâmico e as luminárias, nos espelhos entre as portas, montadas sobre touros. As portas do Salão têm molduras de pedra gravadas com margaridas, a flor sagrada da Mesopotâmia.

Salão Assyrio
Visitas guiadas para grupos no Theatro Municipal – De terça a sexta: 11h30, 12h, 14h, 14h30 e 16h; sábado e feriados: 11h, 12h e 13h
Praça Floriano, s/no – Cinelândia
Tel.: (21) 2332-9220