Barracas das tias de Oswaldo Cruz lotam com receitas afro-brasileiras

A Feira das Yabás destina-se a quem quer experimentar pratos variados da culinária afro-brasileira e curtir boa música. As delícias são vendidas em 16 barracas, cada qual com suas especialidades preparadas pelas matriarcas das famílias mais tradicionais da região de Oswaldo Cruz.

Entre as iguarias estão o mocotó e o aipim com carne-seca, de Tia Surica, baluarte da Velha-Guarda da Portela; a feijoada de camarão, o angu à baiana e o feijão amigo, de Neide Santana; e a rabada com batata, angu e bolinho de abóbora recheado com carne-seca, de Dona Neném, de 87 anos, a mais velha.

O festival gastronômico oferece ainda peixe cozido e frutos do mar, caldos de mocotó, feijão e ervilha, bobó de camarão, peixe frito, macarrão com carne assada, galinha com quiabo, jiló frito, tripa lombeira, bolinhos de bacalhau e de aipim, além de vaca atolada e doces diversos.

Na Praça Paulo da Portela, típica do subúrbio, com mesinhas-tabuleiro e alguns bancos sob as árvores, é montado o palco do show comandado pelo cantor e compositor Marquinhos de Oswaldo Cruz e convidados. Artistas como Monarco, Teresa Cristina, Leandro Sapucahy e Fundo de Quintal já passaram por lá.

A primeira Feira das Yabás foi realizada em 2008, por iniciativa de Marquinhos, que resolveu interpretar seus sambas na Portelinha – a antiga quadra da escola azul e branco –, regados a macarrão com carne assada. Em nove anos, o número de visitantes cresceu e o encontro, que reúne milhares de pessoas de todas as áreas do Rio, teve de migrar para a Praça Paulo da Portela. Segundo Marquinhos, a feira traz a lembrança do aprendizado sobre música que recebeu nos quintais das tias de Oswaldo Cruz, onde sempre havia comida embalada pelo samba. “No meu caso, nas casas da Tia Doca e da Tia Surica”, rememora ele.

Feira das Yabás
Segundo domingo de cada mês, a partir das 13h
Praça Paulo Portela, s/no – Oswaldo Cruz