Obra de Carlos Vergara na Cidade das Artes propõe uma pausa à reflexão

Uma obra pela qual se pode caminhar e refletir. Em um dos lagos da Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, encontra-se o Labirinto Carlos Vergara, idealizado pelo artista em parceria com o designer Zanini de Zanine e o coletivo Organicidade. As paredes são compostas por Pancs (plantas alimentícias não convencionais), cultivadas de forma agroecológica, sem veneno ou fertilizantes químicos, e que cada vez ganham mais força entre os amantes da comida saudável.

Uma pequena ponte de madeira leva à entrada do labirinto. Mas, antes de ingressar na obra, um convite para olhar para si mesmo: uma cadeira de Zanini de Zanine com um espelho na frente demarca a primeira parada de reflexão. Ao final do percurso, outra cadeira assinada pelo designer aguarda o visitante, que ali pode sentar-se para deixar a mente fluir e contemplar a vista.

O trabalho está inserido em outros projetos realizados por Vergara ligados à fitoterapia, como a obra exposta no Museu de Arte Moderna do Rio (MAM), em 1971: um simples labirinto de papel era construído e destruído com a participação do público. Ou “Farmácia Baldia”, montada em São Paulo em 1997, a partir de plantas e ervas com algum uso medicinal.

A maioria das mudas, semeadas pelo coletivo Organicidade, foi captada nos arredores da Barra. As espécies escolhidas têm múltiplas funções, que vão desde a perspectiva estética até a disponibilização de recursos para os polinizadores e a fauna da região em geral. Que tal se perder nesse labirinto poético, um irresistível convite à meditação sensorial? A entrada é gratuita!

Labirinto Carlos Vergara
Terça a domingo, das 10h às 18h
Cidade das Artes: Avenida das Américas, 5.300 – Barra da Tijuca
Tel.: (21) 3325-0102