Peça está exposta em nave lateral da Igreja dos Capuchinhos, na Tijuca

Em pedra inteiriça de mármore talhada em 1565, o Marco de Posse e Fundação da Cidade do Rio de Janeiro traz gravações em relevo em ambas as faces: uma, simbolizando as quintas portuguesas; e outra, a cruz que os galeões e caravelas ostentavam. Com quase 2,5 metros de altura, a peça originalmente teria sido fincada no Morro Cara de Cão, onde Estácio de Sá efetuara os primeiros assentamentos.

Ainda no século XVI, o marco, junto com os restos mortais do fundador da cidade, foi transportado para o Morro do Castelo. Lá permaneceu, mesmo depois da reforma da Igreja de São Sebastião, realizada pelos capuchinhos italianos, na década de 1840, quando então se destacava na parte externa do santuário. A partir do desmonte do Morro do Castelo, em 1922, salvaram-se poucas peças históricas; entre as quais, o marco de posse, que foi instalado no centro da nova Esplanada do Castelo.

Posteriormente, a escultura migrou para a Igreja de São Sebastião dos Capuchinhos, na Rua Haddock Lobo, no bairro da Tijuca. Ali se encontra até hoje, exposto em uma nave lateral sobre um pedestal de granito e protegido por uma grade metálica. No frontispício da Igreja, há uma gravura alegórica na qual o marco figura em primeiro plano, cercado por índios, portugueses e religiosos em pé sobre uma ilhota. Ao fundo, o Pão de Açúcar, o Morro Cara de Cão e, claro, as emblemáticas caravelas.

Marco de Posse e Fundação da Cidade do Rio de Janeiro
Igreja dos Capuchinhos
Rua Haddock Lobo, 266 – Tijuca
Tel.: (21) 2204-7900