Pedra do Telégrafo tem também uma vista deslumbrante para o mar

Depois de subir uma trilha por cerca de 40 minutos — de tirar o fôlego —, chega-se ao mirante da Pedra do Telégrafo, a 354 metros de altitude, em Barra de Guaratiba, para apreciar a imensidão do oceano Atlântico. E ainda fazer uma graça para impressionar os amigos: tirar uma foto em que você parece estar correndo o sério risco de cair de um penhasco fatal. Pura ilusão de ótica, já que, a apenas um metro abaixo, há um platô firmíssimo.

A trilha começa na escadaria da Igreja Nossa Senhora das Dores, em frente à Praia Grande, num local conhecido como Caminhos dos Pescadores. Muito cuidado, porque não há placas indicando a subida. Porém, é possível pedir informações nos quiosques vizinhos (dá para ir sem a ajuda de guias, encontrados no bairro, só consultando o pessoal já mais escolado que segue pelo mesmo trajeto, mas a prudência recomenda juntar um grupo).

Passada a igreja, setas amarelas na escadaria e, mais adiante, placas de madeira sinalizam a direção para a Pedra e as praias. Mesmo assim, é preciso estar atento e forte para não se perder. Após os tais puxados 40 minutos de caminhada, a placa “Pedra do Telégrafo” indicará que valeu a pena cada gota de suor para alcançar aquele precioso destino.

O clima mais ameno aconselha fazer o passeio de manhã cedo. Entretanto, se a ideia é ir na parte da tarde a fim de contemplar o apaixonante pôr do sol, que não se descuide do horário de volta, para evitar pegar a trilha no breu. Em ambos os casos, o checklist — com água (não há nenhum ponto de venda no caminho), caixinha de primeiros socorros, repelente etc. — deve incluir uma lanterna de mão ou de cabeça com pilhas reservas. Em tempo: o Morro do Telégrafo recebeu esta denominação por abrigar uma estação militar de comunicação durante a Segunda Guerra Mundial.

Pedra do Telégrafo
Seguir a Estrada Roberto Burle Marx até chegar ao centrinho de Barra de Guaratiba