Iguaria de bar no Cachambi fica em marinada de ervas finas por 12 horas

A Zona Norte guarda um dos botecos que todo carioca ou turista deveria conhecer. De entrada, pode ir com fé no pastel de camarão, que, conforme garante o cardápio do Cachambeer, não tem “creminho”: o crustáceo vem em pessoa no recheio. Outro petisco, o Filezão metido a besta, incrementa o contrafilé à milanesa com provolone derretido.

Famosa pelas carnes gordas, a casa no Cachambi tem como estrela principal a Costela no Bafo, uma iguaria com sabor único por descansar durante 12 horas, marinada em ervas finas, para logo depois assar no bafo de cinco a seis horas. Ela vem acompanhada pela clássica combinação de arroz, farofa de ovo e batata frita. A saída da suculenta costela alcança, em média, impressionantes 250 kg por semana!

Os mais corajosos pedem, sem medo de ser feliz, o Infarto completo, uma bomba calórica composta por linguiça calabresa, torresmo, carne seca, alcatra de sol, coração, aipim, farofa e manteiga de garrafa. Essa, aliás, costumava ser uma das escolhas do ex-prefeito Eduar­do Paes em suas andanças pela cidade. Ou então o Porquinho embriagado, costelinha de porco com cerveja e ervas especiais, assada no bafo com limão, laranja e molho barbecue, acompanhada de farofa de bacon, alho e torradinhas. O chope chega à mesa estupidamente gelado. “Se estiver quente, fecho o bar e vamos beber em outro lugar”, afirma o dono, Marcelo Novaes.

Marcelão, como é conhecido, foi quem fundou o boteco. Tudo começou, na verdade, em uma tarde de janeiro de 2002, enquanto ele bebia com alguns amigos no bar do Seu Manoel. O comerciante português passou a reclamar que o grupo não ia embora e fazia muito barulho. Marcelão disse a Manoel que ficasse calmo, pois estava disposto a comprar o boteco para resolver o problema. Dito e feito! Desde então, o local sofreu reformas, renovou a equipe de colaboradores e mantém suas mesas sempre disputadíssimas, tanto na calçada, quanto no salão com ar condicionado.

Cachambeer
Rua Cachambi, 475 – Cachambi
De terça a sexta, das 17h à meia noite.
Sábado, das 12 à meia-noite.
Domingo e feriados, das 12h às 18h
Tel.: (21) 3472-3973