Com os melhores petiscos da “terrinha”, bar é hors concours no subúrbio carioca

Numa esquina da Rua Custódio Nunes, em Ramos, um enorme toldo verde e vermelho — cores da bandeira da “terrinha” — e o tradicional galo de Barcelos convidam ao deleite do clima tranquilo e das delícias do Bar da Portuguesa. Paulo Gomes, o Paulinho, comanda a casa aberta por seu avô em 1968 e que teve entre os clientes Pixinguinha, Vinicius de Moraes e Baden Powell. “Pixinguinha morava em uma casa ao lado do bar. Ele vinha de pijama aqui todos os dias tomar uma cerveja”, lembra ele. Em sua homenagem, o músico ganhou até uma estátua de bronze à entrada.

E não só o icônico flautista e saxofonista batia ponto no local. Na saída do histórico Cacique de Ramos, artistas como Beth Carvalho, Zeca Pagodinho e Paulinho da Viola também eram figuras fáceis de encontrar com um copinho em uma mão e,
às vezes, o violão ou cavaquinho na outra. O típico boteco de subúrbio do Rio já teve mesa de sinuca, cachaça a metro e um grande balcão em que se vendia de tudo um pouco, de pipa a carne. Em 1988, uma reforma deixou o perfil de frequência mais familiar, porém sem perder as raízes boêmias, jamais!

Hoje, o estabelecimento abre apenas à noite nos dias úteis e também à tarde nos fins de semana, quando costuma receber visitantes de outros bairros — todos atrás dos quitutes que saem da cozinha com uma rapidez impressionante. Crocante
por fora e macio por dentro, feito com receita original da terra de Pedro Álvares Cabral, o bolinho de bacalhau é pedida certeira nesse gracioso cantinho de sabores do Rio.

O tradicional peixe salgado do Atlântico — do bom mesmo, o verdadeiro Gadus morhua — brilha também em fritadas, punhetas e na premiada salada com grão-de-bico, maçã e palmito, que ficou em segundo lugar no concurso Comida di Buteco de 2015. “A gente gosta de ser boteco mesmo. Queremos dar conforto ao público, mas sem deixar de lado a nossa identidade”, complementa Paulinho.

Bar da Portuguesa
Terça a quinta, das 17h30 às 23h30. Sexta, das 17h30 à meia-noite. Sábado, das 11h às 19h. Domingo, das 11h às 17h
Rua Custódio Nunes, 155, loja D – Ramos
Tel: (21) 3486-2472