Área de Proteção homenageia líder seringueiro acreano

O contato com a natureza pura, praticamente sem a interferência do homem, é algo raro nas metrópoles espalhadas mundo afora. Nesse contexto, o Parque Ecológico Chico Mendes — alinhado aos valores pregados pelo líder seringueiro assassinado
no Acre, em 1988 — se distingue como uma das principais áreas de proteção ambiental do Rio. Fundado um ano após a morte do ambientalista, uma de suas premissas é manter as características de seu ecossistema inalteradas. Ao chegar, o visitante avistará um pequeno prédio térreo, onde será recebido pelos funcionários da instituição. Para melhor se inteirar sobre o parque, terá à disposição diversos painéis informativos, contendo fotos e descrições acerca da fauna e da flora, bem como
esculturas de bichos que vivem na região. Entre as atrações, está a Lagoinha das Tachas e suas cercanias — habitat de espécies vegetais e animais raras e ameaçadas de extinção, como o jacaré-de-papo-amarelo, jabuti e preguiça-detrês-dedos. No bioma de 40 hectares preservados, destacam-se bromélias, ingás e pitangueiras. Há viveiros para os bichos recém-regatados, a maioria cágados, jabutis e jacarés. Após atravessarem um período de recuperação e tratamento, eles são devolvidos aos cuidados da mãe natureza.

Outro programa fica por conta das trilhas naturais, que se estendem por cerca de cinco quilômetros e não exigem esforço físico no percurso, por serem planas — e bem sinalizadas. Uma delas está adaptada para portadores de deficiência física, garantindo que todos possam usufruir do passeio de forma democrática. As crianças — e os adultos — também podem se
divertir no playground (localizado perto do estacionamento), incluindo mesas com desenhos de tabuleiros de dama e xadrez. Por constituir uma reserva ambiental, não se autorizam piqueniques.

Parque Ecológico Chico Mendes
De terça-feira a domingo, das 8h às 17h
Avenida Jarbas de Carvalho, 679 –
Recreio dos Bandeirantes
Tel: (21) 2437-6400