Rosquinhas de polvilho reinam nas praias há mais de seis décadas

Todos os dias, na Lapa, uma enorme fila se forma frente a uma portinha escondida e sem letreiro. Ali funciona a Panificação Mandarino, fábrica do carioquíssimo biscoito Globo. Curiosamente, de carioca a origem da unanimidade comestível das praias só tem a fama. É que os irmãos Milton, Jaime e Samuel Ponce, pelos idos de 1953, aprenderam a confeccionar biscoitos de polvilho doces e salgados em uma padaria no bairro Ipiranga, em São Paulo. Mas foi no Rio de Janeiro, um ano depois, que
as rosquinhas começaram a fazer sucesso.

O amor instantâneo entre elas e o público das areias cariocas levou os irmãos a trazer a produção para cá, já sob a marca Globo, mesmo nome da padaria na qual as vendiam em Botafogo. A receita que bomba há mais de seis décadas mistura polvilho, água, gordura de coco, ovos, leite e sal (ou açúcar, no tipo doce). E mantém ares de confecção caseira — boa parte
do processo é feito à mão, incluindo o empacotamento, parte especial da produção.

A embalagem, com a logo marca inconfundível, nunca foi alterada. E a empresa não aderiu a propagandas publicitárias, o que tornou o biscoito Globo um case de marketing, pelo sucesso gerado apenas no boca a boca. Em dias ensolarados, as vendas aos ambulantes que os anunciarão a plenos pulmões (“É o salgado e é o doce!”) nas areias cariocas chegam a 10 mil unidades,
para deleite dos apaixonados e famintos banhistas.

Panificação Mandarino
Segunda a sexta, das 5h às 14h.
Sábados e feriados, das 5h às 11h
Rua do Senado 273-A – Centro
Tel: (21) 2232-3450