Refúgio verde em Paquetá, entre jardins típicos do século 19, guarda até uma bela prainha

O tempo estacionou em pleno Romantismo no Parque Natural Municipal Darke de Mattos, situado em Paquetá, no final da Praia José Bonifácio, com acesso pela Praça Pintor Augusto Silva. Em meio a amplas áreas gramadas, árvores centenárias e muitas vielas de saibro, destacam-se uma trilha, dois mirantes e um terraço panorâmico, com vista para a Baía de Guanabara,
as montanhas e entornos do arquipélago — além de brinquedos, escorregadores e balanços para a garotada. Para completar o encantamento, há uma passagem a uma bela prainha, através de um pequeno túnel, no recanto do píer, que remete a um covil de piratas.

Sua história se mescla à extração do caulim (argila para a fabricação de cerâmicas, tintas e papéis), atividade comum em Paquetá — em intenso comércio com o Rio — até fins dos anos 1800. A exploração do mineral teria começado na época dos
jesuítas, ainda no século 18, na Chácara do Morro da Cruz — local onde hoje fica o parque —, com autorização do proprietário das terras. Posteriormente, a Chácara (na qual funcionou a Fábrica de Tecidos Agricultura Industrial, até a virada do século 20) passou às mãos do industrial Darke Bhering de Mattos, que dá nome ao parque, criado por decreto municipal em maio de 1975.

No mirante, é possível observar túneis e cavernas remanescentes da extração. O espaço e suas escadarias foram construídos ao estilo dos antigos jardins românticos, característicos do século 19, encontrados, por exemplo, em partes do Parque Lage, no Rio. Na vegetação, predominam os antúrios e filodendros, além de bananeiras-de-jardim. Apesar das profundas interferências
no ecossistema, a cobertura florestal é relativamente densa, formada também por espécies mais tarde introduzidas, como amendoeira, jaqueira, tamarineira, flamboyant, baobá, palmeira imperial e eucalipto. As nativas estão representadas, entre diversas outras, por figueira, cajá-mirim, guariroba, embaúba, paineira, ipê-amarelo e sapotiaba, ameaçada de extinção no município. Para chegar ao parque, podese ir a pé, de bicicleta, triciclo ou carrinhos elétricos, que servem como táxis, substituindo as antigas charretes de tração animal.

Parque Natural Municipal Darke de Mattos
Terça a domingo, das 8h às 17h
Praia José Bonifácio, 255 – Paquetá
Tel: (21) 3397-0189