Ensinamentos milenares em um recanto no Humaitá

A cultura do lamaísmo pode ser assimilada do alto de uma colina no Humaitá. Com cinco pavimentos, um design acolhedor em tons alaranjados e muita simbologia, o Centro Nyingma de Budismo Tibetano desenvolve atividades religiosas, educacionais e filantrópicas voltadas à disseminação dessas tradições.

Para os iniciantes, vale ter em mente que os ensinamentos de Buda começaram na Índia e foram transmitidos de mestre a discípulo por gerações. No século VIII, eles chegaram ao povo do Tibete e se mantiveram até hoje, em uma linhagem ininterrupta de mestres. A Nyingma é a mais antiga das quatro escolas do Budismo Tibetano e preserva os ensinamentos do Grande Guru Padmasambhava, também conhecido como Guru Rinpoche.

Essa tradição chegou até nós, cariocas, através de Tarthang Tulku Rinpoche, detentor da linhagem. Seu esforço, ao vir para o Ocidente, foi na intenção de criar um caminho de acesso ao budismo que fosse compreensível e trilhável por ocidentais, assim como compatível com o mundo contemporâneo.

E é dentro dessa filosofia que o Centro Nyingma de Budismo Tibetano atua. Aulas, seminários, workshops, meditação e retiros são os serviços oferecidos a quem quer emergir na religião de autoconhecimento — além de cerimônias tradicionais do calendário lunar, projetos de arte e exposições. Instituição sem fins lucrativos, o Centro é mantido por trabalho voluntário. Isso porque, entre os ensinamentos, compreende-se o trabalho como um cenário de vida — onde podemos exercer responsabilidades e habilidades para nos desenvolvermos como ser humano.

Centro Nyingma de Budismo Tibetano
Rua Casuarina, 297, casa 2 – Humaitá
Tel: (21) 2527-9388 e 98887-9388