Santuário de 1814 homenageia a segunda padroeira da cidade de São Sebastião

Dia e noite, não importa a hora, encontram-se devotos na Igreja de Sant’Ana. São os praticantes da adoração ininterrupta ao Santíssimo Sacramento, que se revezam por escalas em regime de 24 horas para manter a tradição. Eles vêm das comunidades vizinhas e até mesmo de cidades próximas para integrar a chamada Guarda de Honra. No prédio anexo à matriz, a Casa Pio XII conta com 132 leitos para garantir que os grupos possam se acomodar entre as horas de sono e as de adoração.

A igreja constitui o primeiro santuário de Adoração Perpétua do Brasil. O termo é usado para indicar a prática da Adoração ininterrupta ao Santíssimo Sacramento – o ato de estar perante o próprio Cristo, em silêncio ou em oração. A paróquia abriga desde 1926 a Obra de Adoração Perpétua, fundada por Dom Sebastião Leme Silveira Cintra, que fez questão de ser enterrado em frente ao presbitério, devido à proximidade ao Santíssimo Sacramento. Enquanto foi arcebispo do Rio, ele ia todas as manhãs ao santuário para realizar a Adoração.

Mas a história da Igreja de Sant’Anna é ainda anterior a essa tradição. A paróquia estabeleceu-se em 1814 por decreto de Dom João VI, no Centro, onde permanece até hoje. Ao seu redor nasceram diversas festas e manifestações culturais. Pouca gente sabe, mas é por isso que Sant’Anna representa a segunda padroeira da cidade, depois de São Sebastião. As relíquias e símbolos que a paróquia conserva ajudam a contar a história do Rio, que começou a ser construída a partir do Centro.

Ela guarda, também, um dos maiores ostensórios do mundo, com cerca de 2,5 metros de altura, para abrigar o Santíssimo Sacramento. E, ainda, a relíquia da Virgem Mártir Santa Prisciliana, um presente do Papa Gregório XIII ao imperador Dom Pedro II. Vinda do Vaticano de navio, a imagem foi recebida na Praça Mauá por muitos fiéis, que a transportaram a partir da atual Avenida Marechal Floriano até a primitiva Igreja de Sant’Ana.

Mesmo situada em um bairro pouco residencial, a igreja consegue manter com sucesso projetos sociais como os Alcóolicos Anônimos (AA), sendo a sede inaugural da comunidade no Brasil, e a Obra do Berço, que consiste no apoio e distribuição de enxovais para crianças carentes.

Igreja de Sant’Ana
Praça Cardeal Leme, 11 – Centro
Tel.: (21) 2222-1299